Cesar Stradiotto defendeu sua tese de doutorado com a participação de professores de Universidade Politécnica de Madri

A tese fala sobre uma pesquisa de métodos para construir ontologias multilingues, incluindo aí a associação de conceitos a objetos, e tanto a descrição dos conceitos quanto os objetos estão dispostos no espaço tridimensional.

A ontologia é uma forma de representar um conhecimento qualquer, partindo de um conjunto de premissas, e permitindo a inferencia de informações através de regras de lógica, que pode ser de qualquer tipo, destacando-se aí as logicas mais comuns tais como a proposicional, e quantificacional. Desta maneira, uma vez que uma instancia de ontologia esteja pronta, uma máquina poderá inferir – automaticamente – novas informações, a partir desta instancia, simulando a capacidade humana de tirar conclusões a partir de fenomenos observados.

Na tese defendida, a capacidade das ontologias trabalhadas serem multilingues é devido ao uso de uma tecnologia chamada UNL, que foi criada com a intenção de representar conhecimento em vários idiomas, e que, para tal, utiliza uma linguagem normalizada para suportar os dados sintaticos e léxicos de uma linguagem escrita em qualquer idioma.

Lá também foi levantado o fato de que as instancias de uma ontologia qualquer não existem de forma expontânea: Elas devem ser construídas, e como dificuldade ainda maior, elas devem ser construídas com a interferencia de dois tipos de profissionais: O Especialista de Dominio, e o Engenheiro de Conhecimento, capaz de compreender o conhecimento disponibilizado pelo especialista, e repassar este conhecimento para uma instancia de ontologia, para que seja reutilizada por uma máquina, para que gere novas informações a partir das instancias de ontologia construidas.

Dado que qualquer ramo de conhecimento cresce de forma extremamente acelerada, para representar este conhecimento crescente, é necessário que as ontologias construidas sejam tarefas compartilhadas por vários profissionais, e devido a este compartilhamento, é necessário que estes profissionais participantes tenham um comum acordo sobre os conceitos utilizados para representar elementos dentro destas instancias, mesmo em idiomas diferentes.

Observando várias instancias de ontologias, foi notado que uma das maiores dificuldades na construção de ontologias com seus conceitos em vários idiomas, é a compreensão destes conceitos por participantes nesta construção. Uma vez que as instancias de ontologias são guardadas em arquivos texto,ou em bases de dados, há uma dificuldade considerável no compartilhamento de conceitos.

Para solucionar este problema, foi proposta a representação de conceitos (concretos, inicialmente) através de objetos dentro de um espaço tridimensional. Objetos estes que podem ser figuras, ou mesmo modelos 3D. Desta forma, há uma garantia maior da compreensão de conceitos por todos os participantes da construção de ontologias multlingues, mesmo que falem idiomas diferentes. Como um exemplo, dado que um frances constroi um grupo de conceitos associados semanticamente, e depois conecta a cada um destes conceitos um modelo 3D, que pode ser posicionado, girado, afastado ou aproximado, um chines, ou um hindu, ou um brasileiro, poderão entender os conceitos associados aos objetos, e poderão associar a estes mesmos objetos os mesmos conceitos, em seu próprio idioma.

Participaram da banca de avaliação da tese, os professores Hugo César Hoeschl, orientador, Tania Cristina D´Agostini Bueno, Rogério Cid Bastos, Aires José Rover, examinadores e doutores pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Carolina Gallardo Perez, e Jesus Cardeñosa Lera, examinadores e doutores pela Universidad Politécnica de Madrid (UPM).

Após a defesa, foram iniciadas aulas sobre uso de ferramentas para a construção de dicionários multilingues no formato da UNL, lecionadas pela professora Carolina Gallardo Perez, nas imediações do Instituto de Governo Eletronico, Inteligencias e Sistemas – i3G. No processo de construção, foram ensinados alguns métodos de análise sintática e léxica, inicialmente para normalização da representação de verbos, e posteriormente, para a normalização da representação de objetos.
______________________________________________________

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.