LOG IN Africa

A conferência LOG IN África teve início no dia 05 de junho, às 09 horas, com a apresentação do professor Timothy Waema, coordenador do evento. O professor falou da importância do evento para o desenvolvimento do continente, além da importância da convergência das pesquisas realizadas na África, visando aumentar a abrangência dos resultados.


Delegação do i3G e, ao centro, o prof. Timothy Waema.


Delegação do i3G e, ao centro, o prof. Timothy Waema.

O professor Aly Fahmy, diretor da faculdade de computação do Cairo, o professor Simon Lelo, diretor geral do CAFRAD e o ministro de estado para desenvolvimento da administração do Egito, Dr. Ahmed Darwish, também fizeram parte da mesa de abertura do evento. Todos, falando sobre a importância da governança local e do uso de TIC´s para o desenvolvimento.


Participantes do Evento


Mesa de Autoridades

O primeiro dia do evento foi marcado por palestras de autoridades do continente Africano, que se resumiam a propostas de implementação futura e por experiências bem sucedidas. O segundo dia do evento foi reservado para sessões técnicas.

O professor Hugo Cesar Hoeschl, presidente licenciado do conselho científico do instituto i3G, foi o primeiro brasileiro a palestrar no LOG IN África, às 11h00 do dia 06 de junho, falando sobre a gestão do conhecimento e o governo eletrônico. O professor Hoeschl viajou ao Cairo a convite dos organizadores do evento em decorrência da expressiva quantidade de artigos aprovados pela equipe brasileira. Além da palestra, o professor Hoeschl exibiu um vídeo institucional de Santa Catarina, divulgando a ciência, a cultura e as belezas do Estado.


Apresentação do prof. Hugo Cesar Hoeschl

Já, nas sessões técnicas, as apresentações dos artigos foram divididas em três áreas temáticas:
1°: Políticas de Governo Eletrônico;
2°: Estudo de Caso;
3°: Ferramentas e metodologias de governo eletrônico.

Apresentado na sessão 3, o artigo “The Three-dimensional Knowledge Management of Legal Information through Ontology: an Exercise of Electronic Government” abriu a rodada de apresentações do instituto i3G, no dia 06 de junho, às 11h20, sendo a professora Tânia Cristina D’Agostini Bueno a responsável pela apresentação do artigo e por maiores esclarecimentos a cerca do impacto do desenvolvimento local através do uso de gestão do conhecimento na área jurídica.


Apresentação da prof. Tânia Cristina D’Agostini Bueno

Na apresentação seguinte, às 11h40, o pesquisador Edson Rosa Gomes da Silva foi o responsável por grande parte da apresentação do artigo “Decision support system for city hall – An exploratory research”, que tem o pesquisador Hugo Cesar Hoeschl e Thiago Paulo Silva de Oliveira como co-autores. Os pesquisadores auxiliam na apresentação, explanando sobre a importância da gestão do conhecimento na administração pública municipal e o sistema tributário municipal brasileiro, respectivamente.


Apresentação do pesquisador Edson Rosa Gomes da Silva

Já, na sessão 2, às 11h20, o pesquisador Thiago Paulo Silva de Oliveira foi o responsável pela apresentação do último artigo da equipe brasileira, “Electronic government actions for the laguna city hall from the modernization of the city’s public administration.” Por ser um estudo de caso, o pesquisador focou a apresentação nas atividades e nos processos, que gerou pontos de debate após a apresentação.


Apresentação do pesquisador Thiago Paulo Silva de Oliveira

Houve grande interesse pelos participantes do evento nas 3 apresentações, pois os trabalhos foram desenvolvidos no Brasil, um país com características muito semelhantes aos países Africanos, o que desperta o interesse pela troca de experiências.

Ao final do evento, o professor Timothy Waema, fez elogios às apresentações da equipe brasileira e agradeceu a presença dos pesquisadores, pois julgou importante estreitar os laços entre a pesquisa brasileira e africana. Sendo que, para o professor, a presença da equipe brasileira foi o primeiro passo desse processo.


Cerimônia de encerramento

Dois dias após o evento, a equipe brasileira viajou até a cidade de Alexandria, onde visitou a Biblioteca que leva o mesmo nome da cidade. Além de conhecer a biblioteca, a equipe brasileira teve acesso à sessão de prêmios nobeis, onde somente pesquisadores têm acesso liberado.


Delegação do i3G na Biblioteca de Alexandria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.