PESQUISADORES INTERNACIONAIS VISITAM INSTITUTO I3G

A visita faz parte do ciclo de avaliação das entidades que serão selecionadas para fazer parte do programa TECLIN -Tecnologias Lingüísticas, uma Cátedra criada a partir da sede européia da Unesco.

De acordo com a Unesco, as cátedras foram concebidas para “estimular a formação de redes de universidades” e “promover o desenvolvimento institucional, compartilhar e facilitar o intercâmbio de conhecimento técnico”, sendo que já existem em mais de 20 países no mundo e “cobrem uma grande variedade de campos acadêmicos, das ciências naturais a problemas ambientais e ecológicos, os tópicos de população, ciência e tecnologia, ciências sociais e humanas, ciências da educação, cultura e comunicação, como também a paz, democracia e direitos humanos”, e tem por objetivo o desenvolvimento com programas de ensino e pesquisa de natureza marcadamente internacional.

O Brasil já tem boas experiências de outras cátedras de Unesco, criadas a partir de projetos embrionados em território nacional. A diferença é que nesse caso, o processo de criação da cátedra TECLIN tem a sua maturação na comunidade européia, com a participação de universidades e centros de pesquisa da Europa e da América do Sul. No Brasil o instituto i3G é membro fundador e sócio permanente da cátedra TECLIN, e está incumbido de selecionar a universidade brasileira que fará parte do consórcio.

A comitiva estava composta pelos professores Jesus Cardeñosa Lera, Professor PhD do Departamento de Inteligencia Artificial da Universidade Politécnica de Madri – UPM e coordenador da Cátedra TECLIN, Roberto Giordano Lerena, engenheiro de Sistemas, decano da faculdade de engenharia da Universidad Fraternidad de Agrupaciones Santo Tomás de Aquino, FASTA – Argentina e presidente do Colegio de Decanos da Argentina, bem como a pesquisadora Veronica Costales, Advogada no Equador e Pos-graduada em Inovação e Gastronomia em New York – Eua, e pela Dra Tânia Bueno, presidente do instituto i3G e coordenadora da grupo de trabalho TECLIN no Brasil.

Embora já existam outras cátedras no Brasil, essa é a primeira voltada para o desenvolvimento de soluções baseadas em Tecnologia da Informação, e seus estudos estarão concentrados em aspectos de soluções (pesquisas em buscadores, recuperação de informação, gestão de redes sociais, por exemplo) bem como nos seus impactos e alternativas inovadoras em áreas estratégicas para o desenvolvimento econômico (geração de energia, gastronomia, turismo e hotelaria, atividades de inteligência e traduções automáticas na internet, por exemplo), formando um leque bastante amplo de temas a serem objeto de linhas de pesquisa.

Uma das atividades prioritárias a ser desenvolvida durante as pesquisas é o estudo e modelagem de idiomas indígenas e de culturas em risco de extinção, como ocorre em algumas comunidades no território catarinense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.